FALE COM O ESPECIALISTA
Geo Análise
Geoimovel Report #21
02/02/2024
Geo Análise
Geoimovel Report #21
02/02/2024

Lançamentos do MCMV e financiamentos para classe média deve aquecer mercado imobiliário em 2024

Depois de um 2023 marcado pelos resultados positivos nos financiamentos de imóveis de interesse social e, na outra ponta, nas vendas de apartamentos de alto padrão, a expectativa para 2024 é de reaquecimento do “carro-chefe” do mercado imobiliário nacional: a classe média.

Segundo o analista do mercado imobiliário regional e também diretor do Secovi-PR, os lançamentos do Minha Casa, Minha Vida também devem marcar o reaquecimento das vendas imobiliárias.

Além do aumento do teto do programa para R$350 mil, que viabilizou a execução de habitação com interesse social em Curitiba, a expectativa de ampliação do programa para a classe média deve ter efeito positivo, principalmente a partir do segundo semestre. 

Outra tendência para o mercado imobiliário curitibano em 2024 é o crescimento das vendas de apartamentos compactos e super compactos para investidores. Entre os fatores que influenciam o aquecimento das vendas para investimento estão o crescimento da procura por modalidades de locação flexível, para curtas e médias temporadas, e a valorização imobiliária da capital. 

Dados do índice FipeZap mostraram que Curitiba está entre as cinco cidades brasileiras com maior valorização do metro quadrado nos últimos cinco anos. De 2018 a 2023, a alta foi de 56,58% na capital paranaense.

https://www.bemparana.com.br/noticias/economia/lancamentos-do-mcmv-e-financiamentos-para-classe-media-devem-aquecer-mercado-imobiliario-em-2024/

Mercado imobiliário do Rio está aquecido, mas em alerta

O mercado imobiliário do Rio de Janeiro registrou avanço de 18% nas vendas de imóveis em 2023, apesar do recuo de 16% no número de lançamentos, na comparação com 2022. Os dados são de uma prévia do balanço feita pelo Sinduscon-Rio.

 Só em dezembro do ano passado, foram 50% a mais de unidades vendidas. Para 2024, a expectativa do sindicato é alta, sobretudo, pela redução da taxa de juros, mas fica o alerta.

"Esses números mostram que vendemos estoque que, hoje, está abaixo de seis meses, ou seja, se não tivermos nenhum lançamento nos próximos seis meses e continuarmos com a mesma velocidade de vendas, vai terminar todo o estoque do mercado imobiliário na cidade do Rio", observa Claudio Hermolin, presidente do Sinduscon-Rio.

https://odia.ig.com.br/colunas/panorama-imobiliario/2024/01/6785012-mercado-imobiliario-do-rio-aquecido-e-em-alerta.html

Mercado Imobiliário de Fortaleza e Região Metropolitana chega a R$ 4,7 bi em vendas no ano de 2023

O mercado imobiliário de Fortaleza e Região Metropolitana alcançou o valor total de R$4,7 bilhões em vendas durante o ano de 2023. O resultado foi divulgado pelo Sinduscon-CE nesta segunda-feira (29).

O número representa um crescimento de 18%. Ao todo, foram comercializadas 12.096 unidades, sendo 8.050 em Fortaleza e 4.046 na Região Metropolitana. 

O presidente do Sinduscon Ceará, Patriolino Dias de Sousa, afirma que investimentos públicos irão favorecer o setor. "O crescimento será impulsionado por fatores como: A retomada da economia brasileira, que deve se consolidar em 2024 e os investimentos públicos, que devem continuar a crescer em setores como infraestrutura e também o de habitação, através do Programa Minha Casa Minha Vida, que traz a menor taxa de juros da história (a partir de TR + 4% a.a)", pontua.

https://diariodonordeste.verdesmares.com.br/negocios/mercado-imobiliario-de-fortaleza-e-regiao-metropolitana-chega-a-r-47-bi-em-vendas-no-ano-de-2023-1.3472680

Uma marca