Março/2020

Índice FipeZap acelera a 0,18% em março e encerra trimestre com alta acumulada de 0,49%.

Individualmente, 12 das 16 capitais monitoradas pelo índice apresentaram elevação do preço médio de venda de imóveis residenciais no trimestre.


Baixe aqui o relatório


■ Análise do último mês: o Índice FipeZap, que acompanha o comportamento do preço médio de venda de imóveis residenciais em 50 cidades, apresentou alta nominal de 0,18% em março, resultado ligeiramente superior ao observado no mês anterior (+0,15%).


Comparativamente, a variação mensal do índice também superou o comportamento esperado do IPCA/IBGE para março (+0,11%), segundo expectativa publicada no último Boletim Focus do Banco Central do Brasil*. Uma vez confirmada essa variação dos preços ao consumidor, calcula-se que o preço médio de venda de imóveis residenciais encerrará o referido mês com alta real de 0,07%.


Individualmente, dentre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, aquelas que apresentaram maior elevação de preço médio no último mês foram: Florianópolis (+0,90%), Curitiba (+0,72%) e Manaus (+0,65%). Em contraste, Recife exibiu o maior recuo no preço médio entre as capitais monitoradas (-0,55%), sendo acompanhada por Fortaleza (-0,33%) e Goiânia (-0,21%).


Considerando as duas cidades de maior representatividade no Índice FipeZap, São Paulo apresentou alta de 0,29% em março, superando a variação observada no Rio de Janeiro, onde os preços permaneceram estáveis (+0,03%).


■ Balanço do 1º trimestre de 2020: ao final do primeiro trimestre no, o Índice FipeZap acumulou alta nominal de 0,49%, face à inflação de 0,57% esperada para o período*. Na comparação direta entre a variação acumulada do Índice FipeZap e a inflação esperada ao consumidor, a expectativa é que o preço médio de venda dos imóveis residenciais encerre o trimestre com ligeira queda real (-0,08%).


Na ótica por cidade, a maior parte das capitais monitoradas apresentou avanço no preço médio de venda de imóveis residenciais no período, com destaque para: Florianópolis (+2,23%), Maceió (+1,29%) e Brasília +(1,29%). Em contraste, apenas 4 das capitais monitoradas exibiram queda nominal no preço : Fortaleza (-1,19%), Recife (-0,87%), Manaus (-0,39%) e João Pessoa (-0,21%).


■ Últimos 12 meses: nesse horizonte temporal, o Índice FipeZap de Venda Residencial acumula avanço nominal de 0,25%. Comparando-se com a inflação acumulada em últimos 12 meses (+3,34%), de acordo com o IPCA (IBGE)*, o índice exibe queda real de 2,99%.


Entre as 16 capitais monitoradas pelo Índice FipeZap, Vitória conserva o maior aumento nominal no preço médio (+3,79%), seguida por Maceió (+3,12%) e Florianópolis (+3,12%). Em contraste, Fortaleza acumula a maior queda no preço médio de venda residencial entre as capitais (-9,00%), sendo acompanhada pelo Rio de Janeiro (-2,02%) e por Recife (-1,55%).


■ Preço médio de venda residencial: tendo como base a amostra de imóveis residenciais anunciados para venda em março de 2020, o preço médio calculado foi de R$ 7.262/m² entre as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. Dentre elas, Rio de Janeiro se manteve como a capital monitorada com o preço do m² mais elevado (R$ 9.297/m²), seguida por São Paulo (R$ 9.059/m²) e Brasília (R$ 7.412/m²).


Já entre as capitais monitoradas com menor valor médio de venda residencial por m², figuraram: Campo Grande (R$ 4.173/m²), Goiânia (R$ 4.300/m²) e João Pessoa (R$ 4.320/m²).


Nota (*): informações do Boletim Focus do Banco Central do Brasil (30/03/20). A variação real efetiva será conhecida apenas após a divulgação do IPCA/IBGE de mês.

Todos os direitos reservados

© 2020 Grupo ZAP

UMA EMPRESA DO