FALE COM O ESPECIALISTA
Geo Análise
Geoimovel Report #29
28/03/2024
Geo Análise
Geoimovel Report #29
28/03/2024

Por um uso mais criativo da IA no mercado imobiliário

“2023 foi sobre o uso da inteligência artificial. 2024 é sobre como usá-la melhor”. Assim a fundadora e CEO da plataforma Mosaik, Sheila Reddy, sintetizou qual será o tom das discussões sobre tecnologia e mercado imobiliário ao longo deste ano. A frase foi dita durante o Inman Connect 2024, evento realizado em Nova York no último mês, reunindo profissionais do mercado imobiliário de todo o mundo.

De fato, a dúvida sobre implementar ou não ferramentas de IA no contexto do mercado imobiliário já foi sanada, e a resposta é um inequívoco “sim”. Empresas de todos os tamanhos e profissionais de diferentes áreas já se aproveitam dos ganhos em velocidade, produtividade e assertividade abertos por essas novas tecnologias.

Não por acaso, um levantamento da consultoria Bain & Company chegou a indicar que 30% das empresas têm pelo menos uma estratégia de implementação de IA em curso. Prova disso é que já estamos acompanhando uma forte tendência nas empresas de tecnologia de redução de custos e aumento de receita, a partir do uso da inteligência artificial em processos repetitivos.

Se a validade da IA no setor imobiliário é ponto pacífico, a questão agora é encontrar maneiras criativas e mais eficientes de utilizar essa tecnologia. Dito de outra forma, é preciso fugir do óbvio.

Uma inteligência artificial consegue não só reunir e analisar um volume imenso de dados instantaneamente dando respostas  com agilidade e precisão, mas também produzir imagens e vídeos que permitem simular a realidade e proporcionam experiências imersivas a um baixo custo. Tudo isso tem potencial para contribuir com a automação de atendimento e vendas, escalando o negócio.

Um dos pontos de partida para tirar proveito de tudo que as IAs generativas têm a oferecer, no entanto, é seu uso na comunicação, que foi largamente discutido no Inman Connect. Por meio de uma análise do portfólio de determinada empresa e do perfil de seus clientes, elas conseguem identificar e elaborar conteúdos com grande possibilidade de atrair a atenção de potenciais clientes que podem ser usados tanto em portais, redes sociais ou newsletters. A tecnologia pode ajudar, portanto, a customizar a comunicação da empresa ou do corretor.

A era do spam acabou. O consumidor busca hoje um relacionamento mais individualizado com as marcas, o que, no ramo imobiliário, se traduz em ofertas e conteúdos em menor quantidade, porém mais ajustados a cada perfil.

E justamente nesse ponto que entra o diferencial humano. Se a tecnologia digital tem condições de ajudar até na comunicação das marcas, ela não substitui – e provavelmente nunca substituirá – o DNA de uma organização. Antes de implementar qualquer solução de IA em seus processos internos ou em sua relação com os clientes, as empresas precisam ter clareza de quais são seus valores, seus conceitos e sua cultura.

Rich Antoniello, da Complex Networks, sintetizou bem essa ideia: “automatize a monotonia, não a mensagem”. A inteligência artificial deve funcionar como uma ferramenta de apoio aos processos, jamais como criadora de mensagens. Ela otimiza conteúdos, mas não pode, sozinha, inventar um diferencial para uma empresa.

Sem essa clareza, corre-se o risco de um uso genérico da IA, algo que, segundo os especialistas, tem aprisionado muitos profissionais. A informação pasteurizada e sem originalidade não tem espaço numa economia baseada cada vez mais na personalização de produtos e serviços. Sem dúvida, cabe à empresa ou corretor conhecer seu cliente melhor que o Chat GPT.

“Originalidade” é a palavra-chave do último Inman Connect. Agora que a inteligência artificial não é mais novidade para o mercado imobiliário, o foco está em achar maneiras novas e originais de aplicação dessa tecnologia, objetivo que só pode ser alcançado quando a empresa ou profissional tem clareza do que pode oferecer a seus clientes. Um lembrete de que, na vida e nos negócios, a sensibilidade humana ainda não pode ser substituída.

https://exame.com/colunistas/genoma-imobiliario/por-um-uso-mais-criativo-da-ia-no-mercado-imobiliario/

Presença da mulher no mercado imobiliário recebe atenção especial do CRECI/SC

No mês da mulher, marcado pelo 8 de março, o Conselho Regional de Corretores de Imóveis de Santa Catarina (CRECI/SC) fez um balanço sobre as principais ações que atendem ao papel cada vez mais importante que as mulheres ocupam na sociedade e, particularmente, no mercado imobiliário.

Com um trabalho inovador e soluções concretas para as demandas da categoria, o CRECI/SC ajuda a construir um mercado propício ao crescente número de corretoras de imóveis devidamente credenciadas no Conselho, condição essencial para o exercício legal da profissão.

Para se ter uma ideia, enquanto o percentual histórico era de aproximadamente 33% de mulheres em relação aos homens, nos últimos dois anos esse número saltou para 40%.

Atento a essa tendência de crescimento, o CRECI/SC tem realizado atividades que efetivamente valorizam as corretoras de imóveis.

Em 2023, entre as 12 Comissões Temáticas criadas para tratar de assuntos de interesse da categoria, foi instituída a Comissão da Mulher Corretora. O grupo editou uma cartilha especial sobre a questão do assédio, organizou eventos com centenas de mulheres e participou de palestras organizadas pelo CRECI de São Paulo (Combate à Violência Contra a Mulher) e CRECI do Rio de Janeiro (Mulheres que Constroem - Parte 2), em ambos representado pelas corretoras de imóveis Andréia Schneider e Lilian Gutierres.

“A criação da Comissão da Mulher Corretora de Imóveis do CRECI/SC foi um grande passo para desenvolvermos ações concretas e nossa participação neste evento em São Paulo mostra a valorização das mulheres pelo Conselho”, lembrou Andreia Schneider.

Lilian Gutierres destacou “o excelente conteúdo do Programa do CRECI/SP e das palestras realizadas, que certamente ajudarão muito no trabalho que estamos realizando de forma inédita junto às corretoras de imóveis de Santa Catarina”.

https://g1.globo.com/sc/santa-catarina/especial-publicitario/creci-sc/noticia/2024/[…]o-mercado-imobiliario-recebe-atencao-especial-do-crecisc.ghtml

Mercado imobiliário de Curitiba e região cresce impulsionado pela qualidade de vida

Curitiba vai comemorar 331 anos – no próximo dia 29 de março – como uma das três melhores cidades do Brasil para morar. Com um Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) de 0,810, a capital paranaense hoje ocupa lugar de destaque no ranking elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), da (ONU) graças a indicadores como educação, saúde, renda e longevidade. As métricas que refletem a qualidade de vida e o desenvolvimento humano na região contribuem para atrair visitantes e investimentos para a cidade.

“Curitiba e as cidades da Região Metropolitana são celeiros de oportunidades, tanto para os moradores como para as empresas locais”, afirma Paulo Antonio Kucher, vice-presidente comercial da Lyx Participações e Empreendimentos.

O executivo destaca que Curitiba apresentou um crescimento organizado e sustentável nos últimos anos, o que atraiu a atenção de muitas pessoas interessadas em se mudar para a região em busca de oportunidades e de melhor qualidade de vida. “É uma cidade que possuiu uma excelente infraestrutura urbana e oferece serviços públicos de qualidade para atender à população, além de inúmeras opções de entretenimento e lazer, como os diversos parques espalhados por todos os bairros”, comenta.

BOOM IMOBILIÁRIO

Somente no que diz respeito ao mercado imobiliário, Kucher considera que Curitiba e Região Metropolitana apresentaram um desenvolvimento significativo desde os anos 2000. “Curitiba se tornou um polo econômico regional, atraindo investidores e impulsionando o setor imobiliário. Isso beneficiou todas as cidades do entorno, que também absorveram investimentos e atraíram novos moradores”, analisa.

Segundo ele, áreas já tradicionais da cidade apresentaram crescente valorização dos imóveis, o que acabou impulsionando novos empreendimentos em todas as outras regiões próximas. “Isso é reflexo da demanda crescente e da infraestrutura oferecida”, pontua.

Somente a Lyx, que atua no segmento Minha Casa Minha Vida (MCMV) e se instalou na capital paranaense há quase 20 anos, já entregou 8,5 mil apartamentos desde 2007 em Curitiba e em cidades da Região Metropolitana. “O mercado imobiliário de Curitiba atrai uma variedade de compradores. Existe demanda e oferta para todos os públicos, desde investidores, famílias em busca de residências próprias e empresas em busca de espaços comerciais”, avalia.

https://www.bemparana.com.br/noticias/economia/mercado-imobiliario-de-curitiba-e-regiao-cresce-impulsionado-pela-qualidade-de-vida/

Uma marca