Julho/2020

Impulsionado por alta em São Paulo (+0,61%), preço de venda de imóveis comerciais avança 0,10% em julho

No período, preço do aluguel do segmento recuou 0,14%, influenciado pela queda em cidades como Rio de Janeiro (-0,65%) e Curitiba (-0,61%)


Baixe aqui o relatório completo!


■ Análise do último mês: em julho de 2020, o preço médio de venda de imóveis comerciais (preços de salas e conjuntos comerciais de até 200 m²) apresentou alta de 0,10%, enquanto o preço médio de locação do segmento encerrou o período com queda de 0,14% Comparativamente, esses resultados ficaram abaixo da variação do IPCA/IBGE (+0,36%). No caso do preço médio de venda do segmento, o resultado positivo no mês foi impulsionado pelas altas observadas em São Paulo (+0,61%), Salvador (+0,31%), Niterói (+0,27%), Florianópolis (+0,18%) e Campinas (+0,14%), ao passo que a queda no preço médio de locação de imóveis comerciais foi liderada pelos recuos registrados em cidades como Rio de Janeiro (-0,65%), Curitiba (-0,61%), Brasília (-0,32%). Com esses resultados, o comportamento do preço médio de venda permanece próximo da estabilidade no acumulado do ano (-0,06%), assim como o preço médio do aluguel de imóveis comerciais (+0,05%). ■ Análise dos últimos 12 meses: o preço médio de venda de imóveis comerciais acumula queda nominal de 1,87% nos últimos 12 meses, enquanto o preço médio de locação comercial apresentou variação de -0,80% no mesmo horizonte. Para fins de comparação, a inflação acumulada nos últimos 12 meses superou as variações registradas pelo Índice FipeZap, tanto no caso do IPCA/IBGE (alta de 2,31%) quanto IGP-M/FGV (alta de 9,27%). A queda nominal observada no preço médio de venda de imóveis comerciais é influenciada, nesse horizonte, pelo recuo do preço médio em cidades como: Rio de Janeiro (-4,50%), Porto Alegre (-4,11%) e Belo Horizonte (-2,81%), superando – na média – os avanços captados em Salvador (+3,81%) e Florianópolis (+1,14%). Já com respeito ao preço médio de locação do segmento comercial, os aumentos de preço médio registrados em cidades como: Niterói (+1,74%), São Paulo (+1,67%), Belo Horizonte (+1,28%) e Campinas (+1,05%), contrastam com o comportamento negativo observado nas demais cidades, entre as quais vale citar: Salvador (-7,98%), Brasília (-5,68%) e Rio de Janeiro (-3,37%).

■ Preço médio de venda e locação: em julho de 2020, o valor médio do m2 de imóveis comerciais nas cidades monitoradas pelo Índice FipeZap foi de R$ 8.488/m2, no caso de imóveis comercias colocados à venda, e de R$ 37,43/m2, entre aqueles destinados para locação. Entre todas as 10 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap Comercial, São Paulo se destacou com o maior valor médio tanto para venda de salas e conjuntos comerciais de até 200 m² (R$ 9.656/m2), quanto para o aluguel do mesmo tipo de imóvel (R$ 43,75/m2). No Rio de Janeiro, os preços médios de venda e de locação comercial foram R$ 9.409/m² e R$ 39,17/m², respectivamente. ■ Rentabilidade do aluguel comercial*: pela razão entre o preço médio de locação e o preço médio de venda dos imóveis comerciais, é possível obter uma medida da rentabilidade para o investidor que opta por investir no imóvel com a finalidade de obter renda com aluguel (rental yield). O indicador pode ser utilizado para avaliar a atratividade de salas e conjuntos comerciais em relação a outras opções de investimento disponíveis incluindo, por exemplo, investimento em imóveis residenciais para obtenção de aluguel e aplicações financeiras). Com ligeiro avanço em 2020, o retorno médio do aluguel comercial (anualizado) foi calculado em 5,44% ao ano em julho de 2020, superando a rentabilidade do aluguel de imóveis residenciais (4,82% ao ano), bem como o retorno médio real de aplicações financeiras de referência


Todos os direitos reservados

© 2020 Grupo ZAP

UMA EMPRESA DO